Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A vida

É pessoas as vezes descobrimos que como tudo ta bem logo piora??sim é piora muito...numa historia geralmente tem inicio meio e fim.certo?. mas na maioria de minhas historias existem entre tantuh só o inicio e fim....Pq? porque talvez em uma historia o personagem deve fazer apenas seu papel nem outro alem do seu papel..oq isso tem a ver?...tem a ver q pelo fato de vc querer fazer outro papel acaba atrapalhanduh o caminhi da historia e aeee temos uma direçao direta e reta até o fim....
A vida é uma coisa da qual nao devemos ter medo....só respeita-la pq a qualquer momentuh ela pode nos levar o.O ...sim ela pode por que somos apenas bonecos nas maos dela....a mais cada um segue seu rumo,cada um faz o que quer e blá blá blá isso é mentira fazemos oq temos que fazer e devemos fazer pq isso eu tenho que ser triste achuh que nem vale a pena eu começa uma historia que eu sem que é sem sentido;.....


Álvaro.

O GRITO

Não sei o que está acontecendo comigo, diz a paciente para o psiquiatra.Ela sabe.Não sei se gosto mesmo da minha namorada, diz um amigo para outro.Ele sabe.Não sei se quero continuar com a vida que tenho, pensamos em silêncio.Sabemos, sim.Sabemos tudo o que sentimos porque algo dentro de nós grita. Tentamos abafar esse grito com conversas tolas, elucubrações, esoterismo, leituras dinâmicas, namoros virtuais, mas não importa o método que iremos utilizar para procurar uma verdade que se encaixe em nossos planos: será infrutífero. A verdade já está dentro, a verdade se impõe, fala mais alto que nós, ela grita.Sabemos se amamos ou não alguém, mesmo que esteja escrito que é um amor que não serve, que nos rejeita, um amor que não vai resultar em nada. Costumamos desviar esse amor para outro amor, um amor aceitável, fácil, sereno. Podemos dar todas as provas ao mundo de que não amamos uma pessoa e amamos outra, mas sabemos, lá dentro, quem é que está no controle.A verdade grita. Provoca febre, salta aos olhos, desenvolve úlceras. Nosso corpo é a casa da verdade, lá de dentro vêm todas as informações que passarão por uma triagem particular: algumas verdades a gente deixa sair, outras a gente aprisiona e finge esquecer. Mas há uma verdade única : ninguém tem dúvida sobre si mesmo.Podemos passar anos nos dedicando a um emprego sabendo que ele não nos trará recompensa emocional. Podemos conviver com uma pessoa mesmo sabendo que ela não merece confiança. Fazemos essas escolhas por serem as mais sensatas ou práticas, mas nem sempre elas estão de acordo com os gritos de dentro, aquelas vozes que dizem: vá por este caminho, se preferir, mas você nasceu para o caminho oposto. Até mesmo a felicidade, tão propagada, pode ser uma opção contrária ao que intimamente desejamos. Você cumpre o ritual todinho, faz tudo como o esperado, e é feliz, puxa, como é feliz.E o grito lá dentro: mas você não queria ser feliz, queria viver!Eu não sei se teria coragem de jogar tudo para o alto.Sabe.Eu não sei por que sou assim.Sabe.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

O que hj eu vivo.

Hoje quando acordei foi um dia otima acordei meio dia normal mas sabe quando você ama muito uma pessoa a ponto de fikar cego num coredor completamente escuro???..era nessa situação eu estava...por que neste exato momento vinha a dor do passado a do presente e é como se eu ja sentise a do futuro......
Hj eu descobri que sim! devemos confiar uns aos outros mas não tanto aponto de só depender dela...por que talvez a tristeza saia dai..de algo que você gostaria de fazer mais não faz??? ou nao??..
Você ja acordou desanimado alguma vez?? sabenduh o por que ?? eu acordo todos os dias é como se falta-se algum orgão vital dentro do meu corpo...e eu me senti uma criança de 10 anos que ao perder a peça mais importante de seu quebra cabeça literalmente quebra sua cabeça tentanduh acha-la hoje eu vivo uma coisa chamada vida que você ele todo mundo ao seu redor vive esse é meu codidiano não o seu....então nao sinta pena...pois estou apenas emprestando minha vida pra que você possa saber um poko mais do que diz ser triteza...nem eu sei completamente o que então simplesmente viva o AKI E AGORA pois ele pode nao existir amanha..

Histórias tristes

Posso escrever os versos mais tristes esta noite. Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,e tiritam, azuis, os astros lá ao longe". O vento da noite gira no céu e canta. Posso escrever os versos mais tristes esta noite.Eu amei-a e por vezes ela também me amou. Em noites como esta tive-a em meus braços.Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito. Ela amou-me, por vezes eu também a amava.Como não ter amado os seus grandes olhos fixos. Posso escrever os versos mais tristes esta noite.Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi. Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.E o verso cai na alma como no pasto o orvalho. Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.A noite está estrelada e ela não está comigo. Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.O meu coração procura-a, ela não está comigo. A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.Histórias tristes

VOUTEI

A Triste Partida

Sempre dizem que toda historia de amor deve ter um final feliz e, portanto, esta historia deveria ter o mesmo rumo de tantas outras, contudo, não quero enganar meus leitores dando lhes um final fantástico, já que esta historia baseada em fatos reais, teve seu fim como será descrito aqui.
No final daquele ano, estava muito contente, pois estaria terminando o colegial, e estudaria na faculdade federal de Pernambuco, muito contente, pois é o sonho de muitos jovens, sair de casa, enfrentar a vida por um ângulo diferente.
Minha cabeça andava a mil, com muitos planos e sonhos, um mundo fascinante a minha espera e completamente misterioso diante do meu pouco conhecimento a respeito do que me esperava lá fora.
Depois daquela noite em que tinha ocorrido meu primeiro beijo, estava decidido a esquecer Sofia, e parti deixando para traz todas as minhas fantasias em que ela estava presente. As palavras dela tinham me magoado, e quando palavras de pouco afeto são ditas, sempre magoa, principalmente jovens que sempre viveram a espera da mulher, do amor prometido. E Sofia naquela noite ao dizer que não gostava de mim, tinha me magoado profundamente, apesar de pensar em seu rosto constantemente.
Como seu pai morava na cidade vizinha, quase não os víamos, o Sr Afonso, tinha uma pequena propriedade próxima, e só vinha fazer os comandos aos capatazes, e sua família raramente apareciam. Um dia, estava eu, a brincar com meus irmãos de dama no alpendre de nossa casa, quando escutamos uma carruagem parar e de lá descendo o Sr Afonso, e meu pai ao encontro dele, deu para notar que em cima da carruagem sua esposa e Sofia, que para minha surpresa olhava curiosamente na minha direção. Seu olhar nada tímido nem fingido, fez palpitar freneticamente meu coração, e corar quando deu um leve sorriso.
Infelizmente não demoraram, e logo sumiram na estrada que me pareceu naquele momento muito sinuosa. Fiquei logo sabendo que o Sr Afonso fazia uma rápida visita a sua fazenda com intuito de uma rigorosa recomendação a seus caseiros, pois estava de partida para a capital, onde passaria uns três a quatro meses, curtindo as festas de final de ano, e o termino dos estudos de Sofia, pois a mesma tinha estudo num colégio feminino e domestico, estava concluído seu estudo e, portanto, estavam de partida para a casa de parentes.
Uma tristeza caiu em minha face, o que foi perceptível a minha mãe que logo veio me perguntar sobre o que acontecia, ‘nada’, foi apenas o que respondi, e me recolhe ao meu quarto.
No final da tarde, veio até nossa casa, um cavaleiro, que se apresentou como sendo da casa do Sr Afonso, deixando um envelope com meu pai, depois se foi. Ao entrar na sala meu pai olha pra mim e fala: Vejo que teremos casamento logo, Filipe. É uma carta de Afonso, em que diz que sua filha está disposta a casar com você.
Sim, escutei bem, era a confirmação, mas não tinha entendido o motivo de não terem falado logo mais cedo quando passaram lá, mas meu pai explicou dizendo que pela manhã já tinham tocado no assunto, apenas queria confirmar com a filha que andava muito silenciosa sobre tal proposta. Mas eu sabia que aquela visita tinha revelado outra face de Sofia, de que ela realmente era linda ao sorrir.
Posso afirmar que foi uma noite longa, pois não grudei um olho, e meus planos de faculdade sumiram todos, e apenas a festa de casamento ornamentava minha imaginação.
No outro dia eles passaram para se despedirem, e desta vez Sofia desceu da carruagem e veio me cumprimentar, com um leve sorriso me deu a mão, a qual depositei um leve beijo, o qual me retribui com um doce sorriso.
Antes de partirem, Sofia disse próximo ao meu ouvido: E então Filipe, você vai me esperar? Sorri, e confirmei com um sim discreto e ao mesmo tempo carregado de emoção.
Dias felizes passei naquele final de ano, mas ainda com planos de cursar em Recife, durante quatro anos, o que neste período veria muito pouco minha prometida, e assim, cada dia que se passava eu ficava mais envolvido nos preparativos da minha partida, deixando de lado a idéia de casamento, mas mantendo no coração a idéia de teria minha esposa ao voltar com o diploma de doutor.
No final de Janeiro de 1938, recebi uma carta de Sofia, na qual falava que estaria ao meu lado na hora de minha partida. Uma felicidade imensa brilhou em minha face.
No dia dez de Fevereiro, recebemos um telegrama do Sr Afonso, que fez meu pai dirigir-me um triste olhar, o que gelou minhas mãos e um mau pressentimento veio a me atormentar, pois telegrama naquela época, era sinal de que alguém tinha morrido, e naquele instante, aquele olhar já tinha me contado do que se tratava.
Meu peito apertado e dolorido abafou toda minha voz e me segou completamente. Apenas no dia seguinte é que minha mãe veio dizer-me como tudo tinha acontecido. Sofia e duas primas tinham sido vitimas de um acidente com um auto, no cruzamento de uma avenida, e as três não sobreviveram.
Assim, passei o mês de Fevereiro desanimado com tudo, e sem querer mais nada.
No dia quatro de Março, foi minha partida, ao entrar no auto, ainda olhei em busca de ver aquele sorriso doce e encantador de Sofia, que não poderia está mais ali para se despedir como prometera, e assim parti, com o olhar distante, talvez eu pudesse ver seu rosto no azul daquele céu inalcançável.
Fim.

sábado, 7 de novembro de 2009

A ultima palavra triste


Normalmente pessoal como eu saem pra andar neste mundo gigantesco e louco achamos coisas teriveis da qual nao sabemos como agir e da um odio e uma agonia..entao tipo estou dizenduh que a ultima palavra triste e aquela q num pode ser dita e sim sentida,Pq num tem como agente deixar a tristeza pro lado só como deixa-la de sentir....pq quem nao senti tristeza nao senti nada e quem nao sente nada nao é humano...

..Álvaro.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Aviso

Desculpa pessoas q seguem meu blogg por eu ter dado uma parado nas postagens é q eu andava muito ocupado pois agora em diante voutei a tona entaumm..nao esqueçam de ver ^^